• segunda-feira , 1 junho 2020

Entidades questionam a ausência de paridade no Conselho Administrativo do IPE-Prev

2704-reuniao8Na reunião desta segunda-feira (27/4), do Conselho Deliberativo da União Gaúcha, as questões que envolvem o Conselho de Administração do IPE-Prev, ganharam a atenção dos dirigentes. A entidade, através de sua representação no Instituto, vem observando que a ausência de paridade efetiva dentro do Conselho de Administração vem comprometendo seu funcionamento.

De acordo com o conselheiro no IPE, Filipe Leiria, secretário geral da UG, o conselho de Administração está se comportando como uma extensão da própria diretoria do IPE Prev. “Não há uma capacidade efetiva de construção de uma posição independente em um conselho onde há seis representantes patronais e apenas quatro representantes de servidores. Isso coloca em risco as decisões tomadas”, questiona Leiria.

O desequilíbrio decorre das vagas atribuídas à Fessergs não terem sido preenchidas até o presente momento. Superada a disputa judicial travada quanto ao processo eleitoral dos conselheiros, o governo não indicou representantes para as duas vagas em aberto , conforme determina a lei.

Outro assunto da pauta foi a campanha de solidariedade da entidade para combater a Covid-19 que já ultrapassou os 100 mil reais segue na busca de mais recursos.

Assessoria de Imprensa da UG

Gilvânia Banker

Relacionados