• quarta-feira , 1 abril 2020

Fechamento das agências de saúde no interior preocupa entidades

 

 

20200217_103618[1]Os assuntos que envolvem o IPE-Saúde e IPE-Prev são centrais na União Gaúcha. Nesta segunda-feira (17/02), ao debater sobre o fechamento de agências de saúde no interior do Estado, o conselho deliberou algumas ações urgentes para evitar maiores danos aos seus beneficiários.

A entidade solicitará reunião com presidente do IPE-Saúde, Marcos Vinicius de Almeida, solicitando providencias para que o IPE-Saúde não se torne um plano de assistência médica sucateado. A coordenação da UG também irá visitar o relator da subcomissão em defesa do IPE-Saúde, na Assembleia Legislativa, deputado do PT, Pepe Vargas, a fim de cobrar o relatório oriundo das audiências públicas realizadas durante todo o ano de 2019, na Capital e interior do Estado, onde foram discutidos com a comunidade os diversos problemas da autarquia.

Outro tema em questão é o preenchimento provisório do Conselho do IPE-Prev. Entre os nomes na lista tríplice, está o de Gustavo Roriz, que não é vinculado ao RPPS – Regime Próprio de Previdência Social do RS. A entidade irá tomar medidas emergenciais cabíveis para que seja revista essa indicação.

A ADI contra a LC 15.429/19, que trata das alterações nas alíquotas previdenciárias foi protocolada no Tribunal de Justiça do RS, na última quarta-feira (12/02), através do escritório do ex-ministro do STF, Ayres Britto. As entidades aguardam a apreciação da matéria que deve ocorrer após o feriado de carnaval.

O Conselho reúne-se novamente na segunda-feira (2/03). A reunião foi presidida pela vice-presidente, Juliana Lavigne (Adpergs).

Relacionados