• quarta-feira , 20 novembro 2019

Em união inédita, entidades vão fazer atos

Representantes de entidades de servidores da segurança pública e da educação irão, pela primeira vez na história, somar forças contra as mudanças no plano de carreira e na Previdência elaboradas pelo governo de Eduardo Leite (PSDB).

Lideranças do movimento estiveram reunidas na tarde de ontem, na sede da Associação dos Oficiais da Brigada Militar e do Corpo de Bombeiros Militar (AsofBM), em Porto Alegre. Uma das definições do encontro foi o compromisso de realizar uma grande manifestação no dia 26 de novembro, na Capital. Na reunião, representantes da AsofBM, Abamf, ASSTBM, Aofergs, Abergs, Ugeirm e Cpers-Sindicato compartilharam suas avaliações sobre a iniciativa do governo, que ainda não foi encaminhada à Assembleia Legislativa.

As categorias rejeitaram por unanimidade o plano de reforma estrutural proposto pelo Executivo. As alterações na contribuição previdenciária e o fim das gratificações acumuladas também foram criticadas por todos os representantes. “O projeto é tão ruim, que não apresentamos contraproposta”, avaliou a presidente do Cpers, Helenir Aguiar Schürer. “Não vamos oferecer nenhuma sugestão de emenda”, disse o presidente da AsofBM, coronel Marcos Paulo Beck. O prazo para sugestões terminou na sexta-feira passada. Eles acreditam que o governo não deverá enviar à Assembleia os projetos de uma só vez e pretendem adotar novas estratégias. “Vamos agilizar novas formas de mobilização conjunta. O governo tem uma base sólida na Assembleia”, ponderou o diretor da ASSTBM, Ricardo Agra.

Fonte: Correio do Povo – pg 3 – 30/10

Relacionados