• segunda-feira , 22 abril 2019

Frente Gaúcha analisa os aspectos negativos da Reforma da Previdência e prepara mobilização

 

20190325_102807Na manhã desta segunda-feira (25), a Frente Gaúcha em Defesa da Previdência Social promoveu uma reunião, na sede da Ajuris, para debater os efeitos da PEC 06/2019, que trata da Reforma da Previdência. Durante o encontro, os dirigentes também puderam avaliar a manifestação do dia 22, sexta-feira, na esquina Democrática. Apesar de o evento não ter tido tanta repercussão na imprensa, foi considerado um sucesso pelo grande número de pessoas mobilizadas contra a Reforma.

Durante a manifestação do dia 22, integrantes da União Gaúcha em Defesa da Previdência, entregaram panfletos à população convidando para participar do ato, agendado para dia 16 de abril, na Esquina Democrática, no Centro da Capital. A proposta é esclarecer as dúvidas dos trabalhadores e para que percebam o impacto que a proposta do governo causará no futuro de cada um. Para isso, um grupo de advogados estará calculando a aposentadoria dos trabalhadores, mostrando como seria a aposentadoria pelo sistema de hoje e como será amanhã, se a reforma for aprovada.

Na reunião da Frente, os diretores do Departamento de Assuntos Previdenciário (DAP) da Ajuris, Aymoré Roque Pottes de Mello avaliou os pontos críticos e inconstitucionais da PEC 06/2019. Esses pontos deverão ser levados aos deputados que fazem parte da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, onde será feita a análise inicial da inconstitucionalidade da proposta.

O desembargador Martinewski, presidente da União Gaúcha e representante da Ajuris,  avaliou que o grande eixo da PEC é a destruição da seguridade social. Ele destacou a experiência problemática do Chile, que criou a capitalização, mas, após alguns anos o Estado, precisou aportar recursos. “O mercado rejeita quem não tem dinheiro. Com a capitalização, o Estado ficará alijado do processo, mas vai ser chamado para cobrir o rombo”, antecipou.

O coordenador da Frente, Vilson Romero (Anfip), apresentou o calendário de mobilização mostrando que outras entidades também estão fazendo sua parte. Na próxima sexta-feira (29), a partir das 18h30min, o ato será no Sindicato dos Bancários. Na última quinta-feira (21), a OAB/RS promoveu uma audiência pública sobre o tema, com a participação de dirigentes de entidades e cerca de 200 convidados.

Também participou da reunião da Frente  o presidente da Associação dos Magistrados do Paraná (Amapar), Geraldo Dutra de Andrade Neto.

Após o encontro da Frente,  os dirigentes da União  Gaúcha realizaram o debate dos temas pautados para a reunião do Conselho Deliberativo da entidade. O presidente Martinewski falou da nota pública que foi postada no site,  redes sociais da entidade e enviada a todos os veículos de imprensa, acreditando que ela surtirá efeitos positivos ao IPE.

 

20190325_10220520190325_105117

20190325_11141020190325_111359

Relacionados