• sábado , 23 setembro 2017

União Gaúcha busca o diálogo com presidente do IPERGS

 

2Na manhã desta segunda-feira (19/06), a União Gaúcha em Defesa da Previdência Social e Pública recebeu o presidente do IPERGS, Otomar Vivian. “O convite da UG foi prontamente aceito pelo presidente, o que demonstrou sua disposição ao diálogo”, comentou o presidente da União Gaúcha e da Ajuris, Gilberto Schäfer. Vivian reassumiu o cargo de presidente do Instituto pela terceira vez, há pouco mais de um mês, a convite do governador José Ivo Sartori.

O presidente da União Gaúcha salientou que o convite, além de abrir um canal de diálogo, visa também demonstrar as preocupações das entidades tanto em relação ao IPE-Saúde, quanto ao IPE-Previdência. Disse que a intenção das entidades é a de auxiliar e ajudar na qualificação do Instituto. “Sempre haverá oportunidade de conversarmos e dialogar, o que não significa que vamos concordar”, respondeu Vivian.

De acordo com o magistrado, um dos problemas enfrentados é a falta de estrutura de atendimento do IPE-Saúde, em especial em algumas cidades do interior. Além disso, o problema se agrava com o déficit de servidores para atender os usuários.  A diretora financeira da UG, Kátia Moraes, representante da entidade no Conselho Deliberativo do Instituto, apresentou os dados deste déficit. Segundo ela, o IPE deveria dispor de 67 servidores em atividade, no entanto, há apenas 53, sendo que alguns médicos trabalham com carga reduzida. “Este número é insuficiente para atender a população”, destacou.

Para Vivian, o problema da falta de pessoal é bastante grave e de difícil solução, pois os concursados acabam desistindo das vagas ao passar em concursos com salários mais elevados. Nos atendimentos de saúde, ele se comprometeu em atacar o problema que tem como agravante a remuneração dos médicos, hoje em R$ 47,00 a consulta. “É preciso que se revejam esses valores da prestação de serviço, a readequação é uma necessidade e vamos trabalhar para isso”, garantiu.

O presidente da ASJ/RS, Paulo Olympio, ex-diretor da UG, questionou sobre a reestruturação do órgão, e solicitou ao presidente do IPE que examinasse a questão das propostas, uma elaborada pelo Conselho Deliberativo do IPE, com o apoio da União Gaúcha, e outra construída de forma unilateral pela antiga Direção do Instituto. A preocupação com as propostas de reestruturação também foi externada pelo presidente Schäfer.

Após ouvir as ponderações dos conselheiros, Otomar Vivian se comprometeu em avaliar as proposições legislativas que tratam do IPE e que estão na Casa Civil e garantiu que a relação será pautada pelo diálogo.

Relacionados